A Marvel não quer criar um universo partilhado nos videojogos

marvel games

O vice-presidente da Marvel Games, Bill Rosemann, revela que a gigante da banda desenhada e do cinema não planeia criar um multiverso no mundo dos videojogos.

Numa entrevista com a GamesIndustry.biz, o vice-presidente da Marvel Games e director criativo Bill Rosemann debateu se títulos como o recentemente anunciado Iron Man do Motive Studio poderiam evoluir para um multiverso próprio, semelhante ao que se vê nos livros de banda desenhada e filmes.

Rosemann negou quaisquer planos deste tipo. Observou que, embora seja um conceito que muitas audiências apreciam e ao qual respondem bem, sentiu que seria prejudicial para os objetivos gerais da empresa.

“O mundo é, surpreendentemente, muito familiar e acolhedor com o multiverso. Temos todas estas realidades diferentes. Agora são todas reais, e queremos dar a todos a liberdade de contar a sua história. Não queremos dizer, “não se pode explodir a lua, porque este jogo aqui de outro estúdio precisa da lua. Queremos dar a todos a liberdade e o caminho livre para contarem a sua história”.

Uma grande parte disto provém do grande número de estúdios envolvidos em jogos baseados na Marvel. PlayStation, Take-Two, Niantic e Skydance New Media, todos têm atualmente um projeto Marvel em curso, com criadores como a Embracer Group encarregues de jogos atuais, tais como Marvel’s Avengers e Guardiões da Galáxia.

Outros, como o extremamente bem sucedido Marvel’s Spider-Man da PlayStation, continuam a expandir-se com um remaster para PC recentemente lançado e uma sequela altamente esperada para 2023.

A nova parceria multitítulos da Marvel Games com a EA acrescenta vários novos jogos à mistura, complicando ainda mais a possibilidade de fazer a ponte entre os vários universos.


Vê também:

YouTube video

SenhorPM

Geek a tempo inteiro, PM é o fundador do projeto Tretas do Cromo. Podes segui-lo no Instagram em @senhor_pm, no twitter em @senhor_pm ou no facebook em @senhorpm.

Deixe uma resposta